A cidade de Bragança, foi o primeiro município no Estado a conseguir habilitação no programa Saúde na Hora, do Governo Federal, um pleito defendido pelo prefeito Raimundo Nonato e pelo vice-prefeito e secretário de saúde Mário Júnior e que se tornou realidade. De acordo com a última lista divulgada pelo Ministério da Saúde, na segunda-feira (01), Bragança habilitou suas três equipes de Unidades de Saúde da Família (USF) 40 horas para o formato de USF 60 horas com saúde bucal. Com isso, o repasse mensal, que era de R$ 21,4 mil, salta para R$ 44,2 mil, atingindo um aumento de 106,7% nos recursos para custeio. 
Segundo o presidente do Colegiado de Secretários Municipais de Saúde do Estado do Pará (Cosems), Charles Tocantins, dos 144 municípios paraenses, somente 11 podem pleitear a habilitação no programa. Para aderir, o município deve ter, no mínimo, três equipes de Estratégias Saúde da Família (ESF) na mesma área física.
Essa não é uma realidade dos municípios da região Norte do Brasil nem do Pará. A política federal envolve recurso total de R$ 150 milhões para todo o País. O valor é mitigado por equipes e varia de 44,2 mil até 109,3 mil ao mês, atingindo aumento de até 121%.
Além de Bragança, outro município que pode pleitear a política estendida ao Sistema Único de Saúde (SUS) é Ananindeua, que tem 14 unidades (prédios) com três equipes da ESF.

Deixe comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos necessários são marcados com *.

 

Skip to content